segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Paris - Dia 3

Hoje o dia amanheceu bem fechado e frio, cerca de 8°C e com muito vento.

Fomos inicialmente para o Georges Pompidou, mas estava fechado por causa do feriado de hoje. Paramos uma mãe e uma filha para perguntar a direção da Notre Dame, ela estava explicando, parou outro senhor para ajudar explicar, os franceses sempre simpáticos.

Seguimos para a Notre Dame, que estava coalhada de turistas. Estava tendo missa na hora, uma bonita cerimônia com coral e órgão harmônico. Por causa do feriado há muitos turistas europeus na cidade, principalmente alemães. A fila para subir, estava enorme, nem pensar em ficar em filas. A região da Ile de la Cité onde fica a igreja é muito bonita, ficamos passeando pelo entorno.

Em seguida para Saint-Chapelle e Conciergerie, de novo filas e mais filas. Seguimos para a fonte de Saint-Michel, em seguida para o Panthéon. Desde o Pompidou fizemos todo o trajeto a pé.

O Panthéon estava tranquilo. Antes era uma igreja e foi convertido em um mausoléu para distintos cidadãos franceses. Lá estão Vitor Hugo, Alexandre Dumas, Voltaire, Rousseau e por aí vai. O conjunto arquitetônico é fantástico.

Depois fomos para o Jardim de Luxemburgo, que é um parque que abriga o Senado da República Francesa. Passamos um bom tempo pelos jardins e em frente ao lago de bobeira. O efeito do outono nas árvores do parque é lindo. Em frente ao lago onde as crianças ficam brincando com veleiros de brinquedo, havia um homem sem cabeça, que era a sensação :D

Saímos passeando pelo entorno do parque procurando algum lugar para almoçar na região do Odéon. Escolhemos o Les Editeurs, um café restaurante muito simpático, as paredes são forradas de livros. Estava lotado, nos causou um boa impressão.

Como entrada pedimos Soupe à l’Oignon Gratinée (Sopa de cebola), para o prato principal pedi um Filet de Daurade Royale, Risotto aux Champignons des Bois, Jus de Veau e Belle pediu um Pavé de Saumon Grillé, Vermicelle de Soja Sauté à la Coriandre Fraîche, para acompanhar vinho bourdeux da casa. Ficamos encantados com o lugar e com a comida :)

Pegamos um metro para o Museu d'Orsay, que estava fechado. De lá avistamos a Torre Eiffel e lá fomos nós andando e brincando de siga a torre. Bem devagar sem o menor compromisso, não planejamos subir hoje. Pense na caminhada!

Estava com filas quilométricas. Passeamos pelos jardins até a École Militaire. Tiramos 65536 fotos da Torre, nas mais variadas combinações. Eu, ela, nós dois, apagada, acesa piscando... Mas é realmente uma estrutura impressionante. Além do clima romântico que inspira, bons momentos :)

Os vendedores já estavam atualizados, se aproximavam falando do Brasil, Dilma e Lula. Conversamos com um senegalês simpático, vendedor de miniaturas das torres, está há cinco anos em Paris nessa luta. Perguntou de onde éramos no Brasil, listando São Paulo, Rio, Santa Catarina... Quando falamos Aracaju, ele fez cara de quem nunca tinha ouvido falar. Foi só dizer que era perto da Bahia, para ele abrir largo sorriso e tocar a falar da Bahia.

Voltamos à Torre e passamos ao outro lado, seguindo até o Teatro/Museu Nacional. Subir a escadaria foi um sufoco depois de tamanha caminhada. Já eram 19:30, pegamos um metro e voltamos para a região do hotel.

Ainda fomos ao supermercado comprar chocolates e castanhas. Incrível, castanha de caju mais barato que no Brasil. A última parada, foi um chocolate quente no Amorino.


Quer você acredite ou não! Deus Existe (chuckle)










Voltaire





Dilma na capa dos jornais Franceses







Todo mundo parava para tirar fotos do homem sem cabeça :D



Pêndulo de Foucault









Fred: "Belle, pega nos bagos"
Belle: "Não!"
Fred: "Pega logo"
Belle: "Não pego nem a pau!"





6 comentários:

Maurício Vivas disse...

Todo mundo sabe que os governantes gostam de "mamar nas tetas" da União, mas o Le Monde não precisava ser tão direto (une femme a la tete du Bresil)

Maurício Vivas disse...

E cade a foto que voces tiraram com Thaiz na torre?

Wesley Teixeira disse...

Massa esse prato de salmão que vem com uma baqueta!

Geraldo disse...

As fotos estão excelentes!

maugentil disse...

Como está a política? E a repercussão da reforma da previdência, e as manifestações populares e tal?

Fred disse...

Nenhum sinal das manifestações. Quase não se vê a polícia por aqui. Só na torre a presença é forte, inclusive com a Gendarmerie com armamento pesado.